100% laranja ou diversificação de culturas?

Pesquisadores da USP de Piracicaba compararam os lucros dos dois modelos de produção

valencia-732510_640

Área menor, produtividade recorde. A estimativa do Fundecitrus (Fundo de Defesa da Citricultura) para a safra de laranja 2019/2020 é de 388,89 milhões de caixas, 36% mais que na safra passada e 21% maior que a média dos últimos dez anos.

Tudo isso em uma área total 1,33% menor, de 408.825 hectares. Já a produtividade média prevista é de 1.051 caixas por hectare. Se confirmada, será a maior produtividade já atingida no cinturão citrícola do país, que abrange o sudoeste e o triângulo mineiro e também o interior de São Paulo.

Esses números refletem uma tendência na citricultura: a de operar em uma área menor e com mais investimento em tecnologia para aumentar a produtividade. Mas os produtores têm ido além disso: estão diversificando as culturas e investindo em soja, milho, cana-de-açúcar e ainda em outro ramo da citricultura, a laranja de mesa. Um estudo da Hortifruti Brasil, que reúne pesquisadores da USP (Universidade de São Paulo) de Piracicaba, detalha os resultados do chamado “projeto multinegócios”, testado em uma propriedade de 363 hectares com laranja, soja, sorgo e arrendamento para cana-de-açúcar.

Veja um resumo dos principais pontos da pesquisa:

Será que vale a pena diversificar?

Como o investimento da laranja é alto, a diversificação é uma alternativa quando não é possível renovar 100% do nível de tecnologia do pomar. Aí, a dica é diminuir a área com a fruta, melhorar a tecnologia na parte plantada e usar a área que sobrou para o plantio de culturas que exigem um investimento menor. Outro ponto levantado pelo estudo é que as culturas anuais têm custo menor de manutenção e mão-de-obra em relação a uma área com 100% de laranja. Por outro lado, o produtor que quiser ampliar as culturas plantadas precisa ter em mente que a complexidade do negócio aumenta, e que culturas de duração menor sofrem mais influência de oscilações no clima.

Laranja de mesa compensa?
A rentabilidade da laranja de mesa é de 11% e laranja para indústria, 2%. Mas a escolha não pode se resumir a este ponto apenas. A laranja de mesa precisa cumprir uma série de requisitos de aparência, tamanho, peso e grau de maturação, o que aumenta os custos de produção. A intensidade das vendas é maior na indústria, já que a laranja de mesa depende da demanda do consumidor e é sazonal – diminui no inverno, nas férias escolares e ainda sofre concorrência de outras frutas. O pesquisador do Cepea Renato Ribeiro destaca que a fruta de mesa conta com um mercado mais informal, com maiores chances de calote. “O produtor precisa levar em conta como vai escoar essa produção da laranja de mesa. É importante avaliar a complexidade do negócio”. No caso da indústria, ele lembra que geralmente os contratos são pré-fixados, o que traz uma segurança maior para quem produz.

O produtor de laranja de mesa pode escolher entre vender a laranja colhida ou na árvore. Os grandes produtores costumam preferir vender a fruta colhida. Isso diminui as chances de contaminação e impede que o comprador queira escolher o produto. Já os pequenos produtores tendem a optar pela venda na árvore, que reduz os gastos com a colheita. Uma dica pra quem quiser investir na laranja de mesa é diversificar as variedades plantadas para aproveitar o fluxo de vendas do mercado interno.

Vamos aos números!

A pesquisa compara os resultados de uma propriedade com 100% de laranja com aquela em que houve diversificação de culturas. No caso na fazenda com plantio exclusivo de laranja, o lucro total chegou a R$ 238 mil. No projeto multinegócios, R$170 mil. Mas há um ponto a se considerar: os dois modelos têm resultados parecidos quando se compara o total investido. A cada R$1,00 desembolsado, ambos dão um retorno de lucro total de R$0,03.

Apesar de o modelo 100% laranja movimentar mais dinheiro, isso não significa que o lucro vai ser proporcional  ao total investido. O formato multinegócios é uma opção para o produtor que não tem condições de arcar com uma produção exclusiva de laranja.

Pra saber mais detalhes da pesquisa, clique aqui!

Veja também:

Estoques de suco de laranja estão 34% abaixo do ano passado
Preço da laranja desvaloriza quase 25% em São Paulo
Confira como implementar a rastreabilidade na produção de laranja

Notícias Relacionadas:

Acordo entre Sindicafé-SP e Abics pretende estimular consumo de solúvel

Com a iniciativa inédita, produção de café solúvel estima um crescimento de 5% ao ano

Comportamento no campo e turismo da uva são temas de evento em Itobi

Dia de Campo Seguro será transmitido pelo Youtube do Canal Rural na quarta-feira (28/10), a partir das 17 horas

Cenário ruralidade

Ruralidade e tecnologia são aspectos importantes para retomada do turismo

Em Ubatuba, Dia de Campo Seguro discutiu oportunidades e novidades para quem deseja investir em turismo rural