Produção de leite de búfala cresce 300% nos últimos dez anos

No Vale do Paraíba, umas das principais regiões produtoras de leite de búfala, o litro pode chegar a ser comercializado por R$ 2,50

copo de leite de búfala

O Vale do Paraíba é uma das principais regiões produtoras de leite de búfala. O crescimento do rebanho nos últimos dez anos foi de 300%. De acordo com Simon Riess, produtor rural no município de Guaratinguetá, em primeiro lugar quanto aos motivos do aumento de cabeças é a rusticidade do búfalo. “A gente acredita que esse seja um dos fatores. Lá atrás quando meu pai também optou por essa criação foi por esse fator da rusticidade”, comentou Riess.

Modernização com a verticalização na produção do leite de búfala

Além disso, na fazenda do Simon, a família também investiu na verticalização da produção do leite de búfala e conseguiu aumento nos lucros. “A gente começou a melhorar a produção e a produtividade através da pastagem rotacionada, fazendo irrigação e estamos iniciando um trabalho de fertirrigação também. E desde 2012 veio a parte do laticínio, a gente começou a beneficiar o nosso próprio leite”, completou.

Bom momento

Ainda segundo o produtor rural Simom Riess, no início da pandemia os pecuaristas sofreram com a queda no preço do litro do leite, mas o mercado tem reagido e ele está otimista. “Hoje o litro do leite está sendo vendido entre R$ 2,40 a 2,50”, finalizou.

Confira a reportagem:

Notícias Relacionadas:

FAESP busca isenção de ICMS para leite

FAESP busca isenção de ICMS para leite

A saída do produto cru e pasteurizado, que era isenta, passará a ser tributada em 4,14%

Consulta pública sobre regras para fabricação de queijo artesanal vai até 24 de janeiro

Consulta pública sobre regras para fabricação de queijo artesanal vai até 24 de janeiro

A proposta é estabelecer boas práticas agropecuárias para as queijarias

Abraleite negocia revogação do ICMS sobre o leite pasteurizado

Abraleite negocia revogação do ICMS sobre o leite pasteurizado

Caso a medida não seja removida, aproximadamente 6 mil produtores paulistas serão afetados com o aumento dos custos