6 dicas de boas práticas na produção e venda de cachaça

Mapa apreendeu 146.632 litros de cachaça clandestina em Minas Gerais

boas-praticas-producao-cachaca

Em ação de fiscalização em Minas Gerais, 146.632 litros de cachaça clandestina foram apreendidos pelo Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e Instituto Mineiro Agropecuário (IMA) e a Polícia Militar Ambiental de Minas Gerais.

A operação ocorreu em 15 estabelecimentos de Divinésia, Silverânia, Ubá, Paula Candido e Dores do Turvo, que foram fiscalizados e fechados por ausência do registro. As amostras das bebidas serão enviadas para análise no Laboratório Federal de Defesa Agropecuária (LFDA).

Vale lembrar que o consumo de cachaças sem procedência atestada gera risco à saúde, uma vez que estas bebidas podem conter álcool inadequado para ingestão, por exemplo. Ou seja, tanto para quem produz quanto para quem compra, é essencial que a bebida siga todas as determinações do Mapa.

Mas, você sabe como identificar uma bebida clandestina? Abaixo, listamos 6 dicas do que é preciso para que sua cachaça seja considerada verdadeira e artesanal!

Registro no Mapa

Primeiramente, é necessário buscar registro no Mapa, pois é com esse número estampado no rótulo que sua bebida atesta ao público que está legalizada pelo órgão máximo do setor agropecuário.

Obrigatoriedade do Selo IPI

O selo IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) é obrigatório para os fabricantes de bebidas quentes pela Instrução Normativa RFB nº 1432/2013. Com isso, o fabricante paga o imposto ao comprar os selos e toda garrafa deve sair de fábrica com o selo colado. Assim, fabricante terá pagado o imposto devido de cada unidade vendida junto à Receita Federal.

Cachaça pura x bebida mista

Só podem ser consideradas cachaça as bebidas produzidas exclusivamente a partir do caldo da cana-de-açúcar fermentado destilado e com graduação alcoólica entre 38% e 48%. Quando há a inclusão de outros ingredientes para dar sabor, o produto deve ser sinalizado como bebida mista.

Contato do produtor

Entre as informações disponíveis no rótulo da garrafa, procure pelo endereço ou contato do produtor da cachaça. Afinal, além da transparência, isso mostra que o produtor está acessível para receber uma avaliação, sugestão ou nova encomenda.

Prazo de validade

Cachaça não possui prazo de validade, mas essa informação deve constar na embalagem. Caso haja alguma data de vencimento, desconfie.

Notícias Relacionadas:

Taxa Selic baixa

Baixa na Selic pode favorecer acesso de produtores a empréstimos subvencionados

Faesp defende crédito competitivo no mercado financeiro e desburocratização na concessão

Turismo rural

Família Nação Agro traz novos debates sobre turismo rural e doma racional

Nesta semana, iniciativa do Sistema FAESP/SENAR-SP esteve nos municípios de Itobi e Nuporanga

Produtores buscam capacitação para diversificar turismo rural em Ubatuba

Em Dia de Campo Seguro, agricultores revelaram interesse em cursos de profissionalização em artesanato e gastronomia