Conheça o curso do SENAR que ajuda a inserir jovens no mercado de trabalho do agro

O Programa Jovem Agricultor do Futuro visa a formação de jovens de 14 a 17 anos, tendo duração de 9 meses, com aulas pedagógicas e práticas

Conheça o curso do SENAR que ajuda a inserir jovens no mercado de trabalho do agro

Em 2020, o agronegócio foi um dos poucos setores na contramão da crise. Apesar da pandemia, o setor registrou o melhor resultado na geração de empregos desde 2011, com a criação de quase 62 mil vagas. Uma das portas de entrada para os jovens interessados nesse mercado são os cursos técnicos e profissionalizantes.

O Programa Jovem Agricultor do Futuro é um curso criado pelo SENAR para a formação de jovens de 14 a 17 anos incompletos, tendo duração de 9 meses, com 4 horas diárias de aulas pedagógicas e práticas. Os alunos aprendem todas as etapas do processo produtivo, além de conhecimento de informática, oficina de vendas e marketing.

“O aluno terá trabalhos focados tanto na agricultura quanto na pecuária. Também há a questão da ética e lazer, o trabalho em equipe, ética e cidadania. Com isso, ele vai ter contato com o que vem a ser o mundo do trabalho”, diz Jair Kaczinki, gerente-técnico do SENAR-SP.

Neste link (clique aqui), como você encontra todas as informações sobre o Programa Jovem Agricultor do Futuro.

Veja a matéria completa exibida pelo Rural Notícias:

Notícias Relacionadas:

Conheça as melhores raças de bovinos para produção de leite no Brasil

Conheça as 5 melhores raças de bovinos para produção de leite no Brasil

Na bovinocultura de leite, o homem do campo precisa extrair o máximo de seu rebanho com números cada vez mais reduzidos de

4 dicas para livrar sua propriedade de escorpiões

4 dicas para livrar sua propriedade de escorpiões

Segundo o Instituto Butantan, os escorpiões são responsáveis pelo maior número de acidentes dentre todos os animais peçonhentos no Brasil

Café especial paga 4 vezes mais que o tradicional na Serra da Mantiqueira

Café especial paga 4 vezes mais que o tradicional na Serra da Mantiqueira

Em Divinolândia (SP), a combinação entre microclima, altitude e associativismo tem fortalecido produção de café