Pular para o conteúdo

Veja 5 dicas na hora de usar o equipamento de proteção individual

Troca do filtro da máscara, lavagem das luvas ou armazenamento dos produtos são procedimentos que garantem a segurança do trabalhador rural

Todo trabalhador rural que faz a aplicação de qualquer defensivo agrícola deve usar o Equipamento de Proteção Individual, conhecido como EPI’s. Mas existem procedimentos de uso e manutenção que precisam ser cumpridos. A equipe da Família Nação Agro conversou com um instrutor do Senar-SP e traz dicas para a segurança do trabalhador rural.

Luvas e Botas –  A mão é a parte do corpo com maior risco de exposição, por isso fique atento com a qualidade das luvas. Os materiais recomendados são de borracha nitrílica ou neoprene. Em caso de rasgo ou qualquer outro tipo de desgaste, descarte as luvas. Já as botas devem ser impermeáveis, de preferência em PVC, brancas e usadas com meia de algodão. Atenção: a barra da calça deve ficar por fora do cano da bota, para que o produto não escorra para os pés

Jaleco e Calça – A roupa protege o corpo do trabalhador contra a névoa ou respingos do produto, mas não protege de vazamentos ou jatos dirigidos. Por isso, dependendo da proteção, a roupa deve receber reforço adicional com material impermeável. Os cordões da calça e do jaleco devem ser ajustados e guardados para dentro da roupa. O número de lavagens do conjunto também é limitado e está entre as recomendações do fabricante. Lave as peças à mão, sem esfregar, longe da roupa comum, em água corrente e com sabão neutro. Seque na sombra e só use máquina de lavar ou secar quando recomendado pelo fabricante.

Óculos ou Viseira – Os óculos devem ser de material impermeável para proteger os olhos das gotas ou névoa da pulverização. As viseiras também podem ser utilizadas, desde que em bom estado e sem atrapalhar o uso do  respirador. Atenção: o contínuo uso de lentes sujas ou trincadas podem causar danos à visão.

Respiradores e Máscaras – A via respiratória possui rápida absorção do produto pulverizado, por isso o uso e a qualidade dos respirados (máscaras) e filtros (cartuchos) são de grande importância. Atenção com a boa vedação da máscara, a dica é estar com a barba feita para uma melhor aderência à pele. As máscaras descartáveis não podem ser usadas mais de uma vez e os filtros dos respiradores devem ser trocados com frequência. Guarde a máscara higienizada em saco plástico bem vedado.

Higiene do aplicador – Após a aplicação do defensivo, tome banho com água e sabonete, lavando bem o couro cabeludo, axilas e unhas. Mantenha a barba feita e as unhas cortadas. Durante e após as aplicações evite comer, beber ou fumar, além de tocar qualquer parte do corpo com as luvas contaminadas.

 

 

Veja também:

Entenda a legislação para quem aplica defensivos agrícolas

Notícias Relacionadas

Plantas selecionadas podem aumentar em até 70% a produtividade do palmito. Em cinco anos iniciativa privada deve colocar clones de…

Deixe uma resposta

css.php