Usinas de cana-de-açúcar devem investir R$ 70 bi em uma década

A meta do Brasil de reduzir em 11% os gases poluentes e a abertura do mercado chinês para o etanol brasileiro estão estimulando investimentos no setor

Foto: Pixa Bay

A nova Política Nacional de Biocombustíveis (Renovabio) vai entrar em vigor no próximo ano com a meta de reduzir em 11% a emissão de gases poluentes até 2029. O compromisso assumido pelo governo brasileiro deve dar um novo fôlego à produção de etanol no Brasil. Segundo estimativas da União da Indústria de Cana-de-açúcar (UNICA), a produção deve passar de 48 bilhões de litros e os investimentos chegar a R$ 70 bilhões em uma década.

Outro fator que tem motivado os produtores de cana-de-açúcar é a possibilidade de exportar etanol para a China, que vai passar a acrescentar 10% do biocombustível à gasolina. Segundo o Secretário de Agricultura do estado de São Paulo, Gustavo Dinz Junqueira, a demanda da China será de 15 bilhões de litros, metade da produção brasileira.

Os assuntos foram tratados nesta terça-feira (20), durante a abertura da Fenasucro (27º Feira Internacional de Bioenergia), que acontece em Sertãozinho-SP até a próxima sexta-feira.

 

Veja também:

Produtores paulistas pedem revisão do preço da cana-de-açúcar
Processamento da cana-de-açúcar cai 9,5% em julho

 

 

Notícias Relacionadas:

Isenção de ICMS garante atividades do agro e estabilidade dos preços de alimentos, diz FAESP

Isenção de ICMS garante atividades do agro e estabilidade dos preços de alimentos, diz FAESP

A revogação do aumento de ICMS oficializada hoje, 15, pelo governo paulista foi recebida positivamente pela entidade

Após protesto na CEAGESP, governo paulista revoga aumento de ICMS sobre o agro

Governo paulista revoga aumento de ICMS sobre o agro após pressão do setor

A revogação foi publicada nesta sexta-feira, 15, no Diário Oficial, em três novos decretos

Lichia: fonte de Vitamina C, fruta pode ser apreciada até o final de janeiro

Lichia: fonte de Vitamina C, fruta pode ser apreciada até o final de janeiro

Saborosa e nutritiva, lichia tem sido apontada como um bom investimento para o futuro