SENAR-SP oferece curso técnico de atemoia a produtores do estado

Cultivo da fruta vem se popularizando entre produtores paulistas na pandemia

Atemoia

A produção e consumo de frutas exóticas têm ganhado espaço nos últimos anos, como é o caso da atemoia, que vem sendo cada vez mais plantada na região de Itapetininga, no estado de São Paulo.

Para impulsionar o cultivo, o SENAR-SP oferece o Projeto Técnico de Atemoia, que engloba instalação da lavoura, manejo, tratos culturais e colheita. O programa ensina desde a escolha e preparação do terreno até a plantação e cultivo das frutas, sendo voltado para pequenos produtores e trabalhadores rurais.

O sindicato rural de Itapetininga é um grande produtor dessa cultura, resultante do cruzamento genético da pinha e chirimoia. O aumento da plantação dessas frutas vem gerando renda e empregos no campo, visto que São Paulo possui mais de 400 produtores de atemoia.

Segundo o SENAR-SP, o cultivo da planta exige boas práticas agrícolas seguindo orientações técnicas: desde mudas certificadas, manejo correto com o solo, plantio, adubação, podas até a utilização de irrigação e adoção barreiras de proteção como quebra-ventos.

“A fruta mostra-se uma boa opção para quem necessita diversificar sua produção, embora o investimento seja em longo prazo e, após 5 anos, a receita já fica sustentável. Iniciamos com 1.500 pés e estamos aumentando para 4.500 pés”, dizem Valter Galdiano Gonçales e José Carlos Vieira Pinheiro, produtores de atemoia de Itapetininga.

“Nossa região vem expandindo plantios de renovação e novos plantios. Estamos otimistas em relação à cultura da atemoia pelos motivos da popularização e o aumento do consumo pelos consumidores, além de a exportação está em alta em vários países da Europa, Canadá, Oriente Médio e outros passaram a consumir a fruta”, conta Roberto Ueno, diretor secretário do sindicato rural de Itapetininga e produtor da cultura.

O técnico agrícola especializado no cultivo de atemoia, Vladir Tanabe, alerta sobre a importância de os produtores procurarem viveiristas para comprovar a sanidade das mudas antes do plantio. Além disso, a produção da fruta cresce também em Jarinu, Itapetininga, São Miguel Arcanjo e Atibaia, regiões adequadas ao plantio da fruta, pois esta é muito sensível ao frio e precisa se desenvolver em ambientes com temperaturas equilibradas.

Fonte: Sistema FAESP/SENAR-SP

Notícias Relacionadas:

Tudo que você precisa saber para fazer o Cadastro Ambiental Rural

Tudo que você precisa saber para fazer o Cadastro Ambiental Rural

Registro é obrigatório aos imóveis rurais, assentamentos de reforma agrária e áreas de povos indígenas

Clima e fungo prejudicam produção de caqui em Mogi das Cruzes

Clima e fungo prejudicam produção de caqui em Mogi das Cruzes

Segundo a secretaria de Agricultura do município, seus 916 hectares irão produzir 36 mil toneladas do fruto, 10% a menos que a

Conheça as melhores raças de bovinos para produção de leite no Brasil

Conheça as 5 melhores raças de bovinos para produção de leite no Brasil

Na bovinocultura de leite, o homem do campo precisa extrair o máximo de seu rebanho com números cada vez mais reduzidos de