SENAR-SP oferece curso técnico de atemoia a produtores do estado

Cultivo da fruta vem se popularizando entre produtores paulistas na pandemia

Atemoia

A produção e consumo de frutas exóticas têm ganhado espaço nos últimos anos, como é o caso da atemoia, que vem sendo cada vez mais plantada na região de Itapetininga, no estado de São Paulo.

Para impulsionar o cultivo, o SENAR-SP oferece o Projeto Técnico de Atemoia, que engloba instalação da lavoura, manejo, tratos culturais e colheita. O programa ensina desde a escolha e preparação do terreno até a plantação e cultivo das frutas, sendo voltado para pequenos produtores e trabalhadores rurais.

O sindicato rural de Itapetininga é um grande produtor dessa cultura, resultante do cruzamento genético da pinha e chirimoia. O aumento da plantação dessas frutas vem gerando renda e empregos no campo, visto que São Paulo possui mais de 400 produtores de atemoia.

Segundo o SENAR-SP, o cultivo da planta exige boas práticas agrícolas seguindo orientações técnicas: desde mudas certificadas, manejo correto com o solo, plantio, adubação, podas até a utilização de irrigação e adoção barreiras de proteção como quebra-ventos.

“A fruta mostra-se uma boa opção para quem necessita diversificar sua produção, embora o investimento seja em longo prazo e, após 5 anos, a receita já fica sustentável. Iniciamos com 1.500 pés e estamos aumentando para 4.500 pés”, dizem Valter Galdiano Gonçales e José Carlos Vieira Pinheiro, produtores de atemoia de Itapetininga.

“Nossa região vem expandindo plantios de renovação e novos plantios. Estamos otimistas em relação à cultura da atemoia pelos motivos da popularização e o aumento do consumo pelos consumidores, além de a exportação está em alta em vários países da Europa, Canadá, Oriente Médio e outros passaram a consumir a fruta”, conta Roberto Ueno, diretor secretário do sindicato rural de Itapetininga e produtor da cultura.

O técnico agrícola especializado no cultivo de atemoia, Vladir Tanabe, alerta sobre a importância de os produtores procurarem viveiristas para comprovar a sanidade das mudas antes do plantio. Além disso, a produção da fruta cresce também em Jarinu, Itapetininga, São Miguel Arcanjo e Atibaia, regiões adequadas ao plantio da fruta, pois esta é muito sensível ao frio e precisa se desenvolver em ambientes com temperaturas equilibradas.

Fonte: Sistema FAESP/SENAR-SP

Notícias Relacionadas:

44,80 % dos bovídeos de São Paulo foram vacinação contra febre aftosa

44,80% dos bovídeos de São Paulo já foram vacinados contra febre aftosa

Secretaria de Agricultura divulgou parciais da vacinação de animais com zero a 24 meses envolvidos na segunda etapa da campanha

Mapa registra 21 produtos técnicos genéricos para uso na formulação de defensivos

Mapa registra 21 produtos técnicos genéricos para uso na formulação de defensivos

Por se tratar de produtos técnicos, nenhum dos ingredientes registrados estarão disponíveis para compra pelos agricultores

Prohort mostra variação de preços das frutas em novembro

Prohort mostra variação de preços das frutas em novembro

O 11º Boletim Prohort da Conab indica estabilidade nos preços no atacado, em novembro, das frutas mais consumidas pelos brasileiros