Saiba os cuidados necessários para se proteger o vírus, mantendo a saúde pessoal e sua produção

O avanço do novo coronavírus está preocupando pessoas em todo mundo e o produtor rural também está sujeito a sofrer os efeitos do Covid 19, acompanhe as dicas do Dr. Roberto de Almeida Duarte

proteção1

Por Tobias Ferraz

Roberto Duarte é produtor rural, presidente do Sindicato Rural de Ibirarema, município do Oeste Paulista, região de Orinhos, é médico e coordenador do Programa Promovendo a Saúde no Campo da Faesp. Dr. Roberto, como é mais conhecido, organizou uma cartilha sobre higiene há dez anos – “Fizemos essa cartilha e ela parece atual, as informações sobre higiene estão todas aí.” – destaca o médico.

Dr. Roberto também chamou a atenção para as informações do cartaz produzido pelo Senar Central que traz todas as orientações sobre sintomas, grupos de risco e prevenção ao novo coronavírus – “A prevenção é muito importante, temos de manter o distanciamento social para evitar contato com outras pessoas.” – recomenda.

Outro ponto importante é a limpeza de ferramentas e equipamentos – “Devemos limpar as ferramentas, arreios, equipamentos mais vezes do que o normal. Lavar sempre as mãos e o melhor é usar sabão, sabão caseiro, do tacho é bom também.” orienta

Notícias Relacionadas:

Carrapato do bovino: saiba o que é preciso para um controle efetivo do parasita no rebanho leiteiro

Carrapato do bovino: saiba o que é preciso para um controle efetivo do parasita no rebanho leiteiro

Secretaria de Agricultura orienta pecuaristas e desenvolve estudos para controle do carrapato com o uso de produto natural e controle biológico

Cafés especiais proporcionam inúmeras experiências sensoriais aos consumidores

Cafés especiais proporcionam inúmeras experiências sensoriais aos consumidores

De olho no mercado de café, cafeicultores brasileiros vêm investindo na produção de cafés especiais em busca de maior retorno financeiro

FAESP busca isenção de ICMS para leite

FAESP busca isenção de ICMS para leite

A saída do produto cru e pasteurizado, que era isenta, passará a ser tributada em 4,14%