Prorrogação de prazos de financiamento e créditos rurais beneficiam setor leiteiro

A Família Nação Agro tem se comprometido em reunir especialistas do setor para atender as principais dúvidas do produtor neste momento de enfrentamento ao Coronavírus.

live de hoje

Nesta terça-feira, 31, o repórter Tobias Ferraz conversou com Wander Bastos, presidente do Sindicato Rural de Cruzeiro-SP e o presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Leite, Abraleite, Geraldo Borges, que comentaram sobre as novas regras para prorrogação de financiamentos, créditos rurais, e garantia de trabalho no campo.

De acordo com Wander Bastos, alguns prazos de financiamentos já foram prorrogados e está sendo um grande beneficio ao produtor rural.  Bastos, também, comentou sobre a nova vigência de validade da Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), considerando um benefício ao produtor. “Neste momento, estamos mobilizados em manter as prorrogações impostas pelo Governo, para termos uma margem de respiro”.  

Segundo ele, “além dos pleitos da prorrogação dos prazos, estamos pedindo que isso não altere o crédito do produtor para safra 2020/2021” e, completa: “que essa prorrogação de prazo não diminua o limite de crédito que o produtor tem, isso é importantíssimo”, comentou o presidente do sindicato rural de Cruzeiro.

Várias instituições ligadas ao agronegócios também estão em busca de soluções para amenizar os impactos na economia do setor leiteiro. Para o presidente da Abraleite, Geraldo Borges, além de preservar empregos e a atividade leiteira, há uma grande preocupação nas condições futuras em  relação aos laticínios, que hoje são cerca de 2.500 no Brasil. “É um um potente setor gerador de empregos e receitas, precisamos de medidas governamentais para que essas receitas sejam preservadas”, diz Geraldo Borges.

O presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Leite, a questão dos juros precisa de ser revista num momento como esse. “Teremos recessão e não sabemos como cada  Estado irá reagir, nossa preocupação é que preserve o máximo de empregados e os produtores em atividade“. Ele ainda destaca que o Sebrae que tem feito trabalho muito importante em nível nacional no sentido de preservar a micro e pequena empresa. De acordo com Geraldo, atualmente mais de 1 milhão e 200 mil fazendas estão trabalhando com a pecuária leiteira e a cadeia como todo depende de boas iniciativas para se manter ativa.

Veja muito mais na entrevista abaixo.

 

 

Notícias Relacionadas:

FAESP busca isenção de ICMS para leite

FAESP busca isenção de ICMS para leite

A saída do produto cru e pasteurizado, que era isenta, passará a ser tributada em 4,14%

Consulta pública sobre regras para fabricação de queijo artesanal vai até 24 de janeiro

Consulta pública sobre regras para fabricação de queijo artesanal vai até 24 de janeiro

A proposta é estabelecer boas práticas agropecuárias para as queijarias

Abraleite negocia revogação do ICMS sobre o leite pasteurizado

Abraleite negocia revogação do ICMS sobre o leite pasteurizado

Caso a medida não seja removida, aproximadamente 6 mil produtores paulistas serão afetados com o aumento dos custos