Projeto de lei que aumenta imposto preocupa agronegócio paulista

Projeto de Lei 529/2020, se aceito, deve causar elevação nos preços de insumos e implementos

Trator arando terra na capa de matéria sobre Projeto de Lei 529/2020

O Governo de São Paulo enviou à Assembleia Legislativa em caráter de urgência o Projeto de Lei 529/2020, que pede aumento de impostos em itens básicos da cesta básica e retira benefícios tributários de alguns insumos agropecuários. “A proposta aumenta  para 18% a alíquota do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), agravando a taxação dos vários segmentos rurais que hoje recolhem abaixo disso”, explica o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (FAESP).

A proposta, que  visa equilibrar o pacote fiscal do governo estadual com o orçamento paulista em 2021, vem  causando alarde nas lideranças do agronegócio do estado. Em comunicado emitido pela FAESP, a entidade ressalta que “a soma do pacote paulista com a reforma tributária federal poderá ter resultados graves para o setor”, especialmente se for considerada a participação significativa do Estado de São Paulo na produção agropecuária nacional.

“É preciso bom senso e encontrar um denominador comum, pois o agronegócio, cuja importância é crescente para a economia, a geração de empregos e a balança comercial de nosso país, não pode ser atingido por aumento de impostos”, afirmou Meirelles. “Defendemos que a reforma tributária de vem simplificar mas não onerar ainda mais o  produtor. Isso afetaria de modo contundente sua competitividade”, concluiu.

Já para o coordenador do Fórum Paulista do Agronegócio, Edivaldo Del Grande, o projeto de lei trará aumento de custos ao produtor e, como consequência, essa elevação deve ser repassada ao consumidor em itens da cesta básica. “Além do aumento de custo, a desindustrialização nos preocupa. Se aumentar muito esse custo, vai ser  mais barato produzir fora do estado de São Paulo”, alertou Del Grande.

Confira a entrevista com Edivaldo Del Grande no Mercado & Companhia a partir dos 23 minutos no vídeo abaixo:

Notícias Relacionadas:

Produtores buscam capacitação para diversificar turismo rural em Ubatuba

Em Dia de Campo Seguro, agricultores revelaram interesse em cursos de profissionalização em artesanato e gastronomia

Vacinação de bovinos e bubalinos contra febre aftosa

Campanha de vacinação contra febre aftosa começa em 1º de novembro

Devem ser vacinados bovinos e bubalinos com idades entre 0 e 24 meses

Parreiras em Itobi são opção de turismo rural

Sebrae-SP dá dicas para produtor arrecadar com turismo rural

Em Itobi (SP), Dia de Campo Seguro mostrou opções de atividades para produtor aumentar a renda de sua propriedade com turismo rural