Produtores e cooperativas de leite não foram contemplados no acordo sobre ICMS

FAESP tenta sensibilizar o governo de São Paulo sobre o peso aumento do ICMS na cadeia produtiva do leite

Produtores e cooperativas de leite não foram contemplados no acordo sobre ICMS

As tributações implementadas pelo governo paulista seguem sem solução para o setor leiteiro. Em nota, a FAESP (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo) lamentou que o segmento não foi contemplado com a redução do ICMS. Até o momento, os acordos formalizados podem abranger a indústria de laticínios, mas não a produção de leite.

E isto irá impactar diretamente produtores e cooperativas rurais vinculados à comercialização de leite pasteurizado e cru. Afinal, a comercialização do leite pasteurizado, que era isenta, continua sendo tributada em 4,14%. Da mesma forma, o transporte intermunicipal de leite cru e pasteurizado teve alíquota majorada de 5% para 6,5%.

A entidade, junto de produtores rurais, sindicatos rurais, cooperativas e da Abraleite (Associação dos Produtores de Leite), tenta sensibilizar o governo de São Paulo sobre o peso aumento do ICMS na cadeia produtiva do leite, mostrando que a medida afeta drasticamente 9 mil pequenos produtores e aumenta os preços de produtos essenciais à alimentação.

Notícias Relacionadas:

3 lições que o SENAR-SP dá a jovens empreendedores rurais

3 lições que o SENAR-SP dá a jovens empreendedores rurais

Programa oferece conhecimentos sobre educação socioambiental, convivência profissional e negócios

Sindicato rural de Cruzeiro celebra capacitação de produtores para turismo rural

Sindicato rural de Cruzeiro celebra capacitação de produtores para turismo rural

Caravana no município paulista ofereceu dicas sobre marketing no turismo rural e soluções digitais

Turismo rural: caravana ensina a alcançar visitantes com marketing da propriedade

Segundo consultor do Sebrae-SP, 76% dos turistas consideram importante soluções digitais no turismo rural