Mulher no agro – Como se tornar protagonista no campo

Dados do último IBGE afirmam que mais de 1,5 milhão de mulheres do agro são empreendedoras

Produzindo em Home Office (1)

Para o mês da mulher,  o programa Nação Agro Entrevista do último domingo, 15, exibiu bate-papo com  Claudete Morando Romano, que é Chefe da área de Promoção Social do SENAR SP. Na ocasião ela comenta sobre o aumento da participação feminina nos cursos do Senar, que somam mais de 40%.

Claudete ressalta a importância da participação feminina no sucesso do agronegócio brasileiro, principalmente  nos pequenos negócios e nas pequenas propriedades rurais. Na entrevista ela levou exemplos de sucesso, onde as produtoras participaram ativamente da última feira do empreendedor de São Paulo, que aconteceu em outubro. No evento um estande especial foi montado para que elas pudessem apresentar a produção e contar ao público sobre suas histórias e forma de trabalho.

“Veio a ideia de na feira do empreendedor para ressaltar esse protagonismo e trabalhar da proteção social. Trouxemos empreendedoras do meio rural, elas expuseram seus produtos, relataram as suas histórias e foi um sucesso, não tinha lugar para andar no nosso estande”, relatou Claudete sobre a ação realizada.

 Confira a entrevista completa no vídeo abaixo:

 

Notícias Relacionadas:

Carrapato do bovino: saiba o que é preciso para um controle efetivo do parasita no rebanho leiteiro

Carrapato do bovino: saiba o que é preciso para um controle efetivo do parasita no rebanho leiteiro

Secretaria de Agricultura orienta pecuaristas e desenvolve estudos para controle do carrapato com o uso de produto natural e controle biológico

Cafés especiais proporcionam inúmeras experiências sensoriais aos consumidores

Cafés especiais proporcionam inúmeras experiências sensoriais aos consumidores

De olho no mercado de café, cafeicultores brasileiros vêm investindo na produção de cafés especiais em busca de maior retorno financeiro

FAESP busca isenção de ICMS para leite

FAESP busca isenção de ICMS para leite

A saída do produto cru e pasteurizado, que era isenta, passará a ser tributada em 4,14%