Mapa lança campanha de incentivo à produção e comercialização de alimentos orgânicos

Ministra Tereza Cristina reforça compromisso com a sustentabilidade

humusmao31-b9a82befe2a2cc381315550006181883-640-0

O Ministério da Agricultura começou nesta segunda-feira uma série de seminário virtuais para debater a produção e comercialização de produtos orgânicos no Brasil. A ministra Tereza Cristina participou, por videoconferência, da XVI Campanha Anual de Promoção do Produto Orgânico que neste ano traz o mote “Tem alimento saudável perto de você – Alimento Orgânico, melhor para vida”. Tereza Cristina reafirmou o compromisso do Ministério com as ações de apoio a comercialização e produção sustentável e citou o Programa ABC – Agricultura de Baixa Emissão de Carbono como exemplo de sucesso e que ganha novas adesões de produtores a cada nova safra, desde que foi criado em 2012. “Não existe oposição entre alimento orgânico e convencional, são tecnologias complementares.” destacou a ministra.

Nos últimos anos o número de produtores que migram do sistema convencional para o orgânico vem registrando crescimento entre 10% e 15% ao ano, segundo dados do MAPA.

José Guilherme Leal, secretário de Defesa Agropecuária do MAPA atualizou alguns números do setor. “Nosso país tem hoje 21.382 produtores orgânicos cadastrados, distribuídos em 27.000 unidades de produção e que ocupam 880.000 hectares.” – disse ainda que o MAPA vai dar condições para que novos produtores tenham acesso às técnicas de produção orgânica e ampliar a produção para os que já adotaram essa forma com linhas de crédito específicas e assistência técnica especializada.

A coordenadora de Produção Orgânica do MAPA, Virgínia Lira reforçou o trabalho das Comissões Estaduais de Produção Orgânica, que trabalham em parceria com as entidades da sociedade para popularizar e ampliar a oferta de produtos através da organização das feiras livres.
Outra modalidade que foi destacada por vários participantes da videoconferência é a comercialização direta em forma de cestas de produtos onde o produtor faz amplo uso das ferramentas digitais como Whatsapp e redes sociais para divulgar e entregar os legumes, frutas e verduras.

A primeira palestrante da videoconferência foi Elaine de Azevedo, doutora na área de Sociologia Ambiental, estudiosa da agroecologia e professora da UFES-Universidade Federal do Espírito Santo. Ela fez uma longa reflexão sobre o consumo de alimento orgânico em tempos de pandemia e destacou os benefícios de uma alimentação com alimentos seguros. “Comer bem é a nossa vacina.” – frisou a pesquisadora, que destacou ainda a importância da agricultura familiar, de onde saem 70% do volume de produtos orgânicos.

Paula Ferreira, produtora agroecológica há 25 anos, coordenadora do Núcleo Raízes do Sertão, que reúne 115 propriedades rurais na região de Irecê, na Bahia, trouxe orientações para o consumidor adquire com segurança os produtos orgânicos. “Quando o consumidor tiver dúvida sobre a origem do alimento, procurar o Certificado de Orgânico com os organizadores das feiras de produtos orgânicos.” – orienta a produtora.

Confira a programação do seminário virtual:
https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/sustentabilidade/organicos/xviorganicos

Notícias Relacionadas:

Pousada ao pôr-do-sol com árvores é opção para turismo rural

Inovação ajuda na retomada de turismo rural em São Paulo

Demanda por turismo rural deve aumentar com a flexibilização das atividades no estado

Preço da batata sobe

Falta de chuva faz preço da batata subir 76% em outubro

Cepea/Esalq prevê manutenção da valorização dos preços nos próximos meses devido ao “adiantamento da colheita” e baixo volume de chuva

Família Nação Agro explora mercado de cogumelos, apicultura e turismo rural

Durante a semana, projeto do SENAR-SP visitou os municípios de Sorocaba e Ubatuba