Mapa anuncia extensão de uso de mais 17 defensivos agrícolas para pequenas culturas

Com a medida do ministério, agricultores poderão utilizar produtos conhecidos e garantir segurança aos alimentos

Mudas com defensivos

A extensão de uso de mais 17 defensivos agrícolas para as culturas de suporte fitossanitário insuficiente (CSFI) foi aprovada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A autorização foi publicada hoje (20/10) no Diário Oficial da União, no Ato n° 58 do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas da Secretaria de Defesa Agropecuária.

Dessa forma, para as culturas do amendoim, ervilha, feijões, grão-de-bico e lentilha, são seis extrapolações de uso de diferentes ingredientes ativos – cloridrato de cartape, lambda-cialotrina e diafentiurom e as misturas de dinotefuram com piriproxifem, azoxistrobina com mancozebe, e lambda-cialotrina com clorantraniliprole –, porém são substâncias que já tinham registro de pelo menos uma dessas culturas.

Além disso, o produto à base de Boscalida teve grande número de inclusões de culturas em sua recomendação de uso, que conforme o agrupamento das CSFI, vai desde as frutas de casca não comestível até o grupo das leguminosas e oleaginosas. Para hortaliças, também foi liberado um fungicida de fluxapiroxade com piraclostrobina para controle de mancha preta e mal das folhas.

Produtos à base de carfentrazona-etílica e da mistura de clorantraniliprole com lambda-cialotrina foram listados nas culturas de milheto e sorgo, enquanto batata-doce, batata-yacon, beterraba, cará, gengibre, inhame, mandioca, mandioquinha-salsa, nabo e rabanete foram contempladas com a extrapolação de uso de um defensivo à base de clorotalonil.

A cultura da melancia ganhou um inseticida à base de teflubenzurom para controle de broca dos frutos (Diaphania nitidalis) e lagarta mede-palmo (Trichoplusia ni). Já para a uva foi um à base de lambda−cialotrina. Ameixa, cacau, nectarina, pera, pêssego, seringueira e uva que já têm o uso do Glifosato autorizado, agora contam com outro produto com esse princípio ativo.

Já as plantas ornamentais receberam um produto à base de lambda-cialotrina com clorantraniliprole e a Duboisia teve a inclusão de dois produtos, um à base de Clorotalonil e outro de fipronil.

Segundo o Mapa, com as extensões aprovadas hoje, os produtores poderão utilizar esses produtos conhecendo as doses corretas para proteger seus cultivos e com a garantia de que tais alimentos serão seguros para o consumo.

Notícias Relacionadas:

São Paulo deve receber chuvas em sequência até início de junho

São Paulo: início da primavera será marcado por retorno das chuvas

De acordo com a Somar Meteorologia, a expectativa é de que alguns municípios recebam mais de 25 milímetros

cesta de orgânicos organizar a cadeia

SENAR-SP disponibiliza 5 cursos para manejo de orgânicos

Atendendo as necessidades dos produtores, agricultura orgânica une ciência e tradição em cultivo sem produtos sintéticos

6 dicas para melhorar a segurança da sua propriedade

6 dicas para melhorar a segurança da sua propriedade

Comandante da Polícia Militar mostra como medidas simples podem aumentar a proteção do produtor rural