Mapa anuncia extensão de uso de mais 17 defensivos agrícolas para pequenas culturas

Com a medida do ministério, agricultores poderão utilizar produtos conhecidos e garantir segurança aos alimentos

Mudas com defensivos

A extensão de uso de mais 17 defensivos agrícolas para as culturas de suporte fitossanitário insuficiente (CSFI) foi aprovada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A autorização foi publicada hoje (20/10) no Diário Oficial da União, no Ato n° 58 do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas da Secretaria de Defesa Agropecuária.

Dessa forma, para as culturas do amendoim, ervilha, feijões, grão-de-bico e lentilha, são seis extrapolações de uso de diferentes ingredientes ativos – cloridrato de cartape, lambda-cialotrina e diafentiurom e as misturas de dinotefuram com piriproxifem, azoxistrobina com mancozebe, e lambda-cialotrina com clorantraniliprole –, porém são substâncias que já tinham registro de pelo menos uma dessas culturas.

Além disso, o produto à base de Boscalida teve grande número de inclusões de culturas em sua recomendação de uso, que conforme o agrupamento das CSFI, vai desde as frutas de casca não comestível até o grupo das leguminosas e oleaginosas. Para hortaliças, também foi liberado um fungicida de fluxapiroxade com piraclostrobina para controle de mancha preta e mal das folhas.

Produtos à base de carfentrazona-etílica e da mistura de clorantraniliprole com lambda-cialotrina foram listados nas culturas de milheto e sorgo, enquanto batata-doce, batata-yacon, beterraba, cará, gengibre, inhame, mandioca, mandioquinha-salsa, nabo e rabanete foram contempladas com a extrapolação de uso de um defensivo à base de clorotalonil.

A cultura da melancia ganhou um inseticida à base de teflubenzurom para controle de broca dos frutos (Diaphania nitidalis) e lagarta mede-palmo (Trichoplusia ni). Já para a uva foi um à base de lambda−cialotrina. Ameixa, cacau, nectarina, pera, pêssego, seringueira e uva que já têm o uso do Glifosato autorizado, agora contam com outro produto com esse princípio ativo.

Já as plantas ornamentais receberam um produto à base de lambda-cialotrina com clorantraniliprole e a Duboisia teve a inclusão de dois produtos, um à base de Clorotalonil e outro de fipronil.

Segundo o Mapa, com as extensões aprovadas hoje, os produtores poderão utilizar esses produtos conhecendo as doses corretas para proteger seus cultivos e com a garantia de que tais alimentos serão seguros para o consumo.

Notícias Relacionadas:

Semana será marcada por chuvas no sul de São Paulo

Semana terá chuvas no sul de São Paulo

Previsão aponta tempo seco e nublado no centro e norte do estado

3 lições que o SENAR-SP dá a jovens empreendedores rurais

3 lições que o SENAR-SP dá a jovens empreendedores rurais

Programa oferece conhecimentos sobre educação socioambiental, convivência profissional e negócios

Sindicato rural de Cruzeiro celebra capacitação de produtores para turismo rural

Sindicato rural de Cruzeiro celebra capacitação de produtores para turismo rural

Caravana no município paulista ofereceu dicas sobre marketing no turismo rural e soluções digitais