Jovem pecuarista muda gestão e aumenta os lucros na propriedade

Para a sucessão familiar dar certo, trazer resultados e aumentar os lucros da família, é preciso preparo de gestão, capacitação profissional e investimentos

gestão pecuaria

Uma má gestão na fazenda pode comprometer o futuro dos pecuaristas nas próximas décadas. Nesse sentido, um dos gargalos é a falta de preparo dos sucessores que vão assumir os negócios.

Para muitos, sucessão familiar é herança e patrimônio que, por muitas vezes, são vendidos e até esquecidos. Porém, para outros, é fonte de renda e sobrevivência.

O jovem Henrique Rainho, filho de pecuarista no município de Presidente Venceslau, segue os caminhos do pai para garantir a continuidade dos negócios.

“Isso é uma coisa que, muitas vezes, tem gente que ganha de mão beijada, contudo, não tem amor, não tem afeto na criação. E ainda se distrai e dispersa e, com isso, acaba perdendo uma coisa que podia virar muito grande”, comentou Rainho.

Assim também, o pai dele, Manoel Rainho Júnior, acredita que o incentivo tem que começar desde criança.

“É uma coisa que a gente tem que ir incentivando para começar a realmente gostar. A pessoa tem que conviver, começar a gostar para ele ter sucesso na produtividade rural”, ressaltou.

Jovem muda gestão da propriedade com implantação da lavoura pecuária

Outro jovem que tem sido exemplo na sucessão familiar é o Guilherme Milani, também de Presidente Venceslau. Ele está na quarta geração da família, que é produtora de cana-de-açúcar, batata doce e cria gado de corte. O produtor já colhe resultados com as mudanças que promoveu na propriedade.

“Eu comecei a trabalhar com a propriedade em 2008 e em 2012 a gente começou com a integração lavoura pecuária, com a parte irrigada, no foco maior em produção de grãos e, ainda, na parte de reforma de pastagem”.

“Hoje o foco é produtividade, é o desfrute do rebanho. A gente vem cada dia mais baixar custo, melhorar a produtividade e o giro do rebanho na propriedade.

Senar SP ajuda a capacitar jovens produtores

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) de São Paulo, abre espaço aos jovens que também buscam qualificação. De acordo com Viviane Bordão, supervisora regional da entidade, a profissionalização é necessária para preparar o jovem sucessor.

“Com a chegada da cana nas regiões, nós não tínhamos profissionais. Então, houve essa necessidade. O jovem tem muita facilidade de trabalhar com novas tecnologias.

Notícias Relacionadas:

Turismo rural

Família Nação Agro traz novos debates sobre turismo rural e doma racional

Nesta semana, iniciativa do Sistema FAESP/SENAR-SP esteve nos municípios de Itobi e Nuporanga

Produtores buscam capacitação para diversificar turismo rural em Ubatuba

Em Dia de Campo Seguro, agricultores revelaram interesse em cursos de profissionalização em artesanato e gastronomia

Vacinação de bovinos e bubalinos contra febre aftosa

Campanha de vacinação contra febre aftosa começa em 1º de novembro

Devem ser vacinados bovinos e bubalinos com idades entre 0 e 24 meses