Genética e tecnologia aquecem mercado de pecuária de corte

Em Pindamonhangaba, o empresário Tiago Ribeiro utiliza marca própria e ferramentas de marketing para vender ao consumidor final

genetica-tecnologia-pecuaria-de-leite

O consumidor pode sentir a diferença na qualidade e oferta dos produtos de pecuária de corte. A mudança, porém, vem desde muito antes, isto é, na propriedade rural.

De acordo com o empresário Tiago Ribeiro, aprimoramento genético e o uso de ferramentas de marketing são alguns dos recursos para aquecer o mercado. “Na fazenda, a gente já vê a criação ganhando mais volume e qualidade”, afirma Ribeiro.

Para o Rural Notícias, o pecuarista afirma que, no projeto gado de corte, tem como meta apurar o sangue bragus até chegar aberdeen. “A seleção de cordeiro para corte acompanha os mesmos critérios de eficiência e qualidade que mantemos para o gado”, garante Ribeiro.

Além disso, para melhorar sua margem de lucro, Tiago passou a comercializar sua própria produção e de pecuaristas da região em seu empório. “Percebi que eu enviava os animais aos grandes frigoríficos e eles acabavam sendo vendidos na região. Por isso, resolvi encurtar esse caminho e consegui comercializar direto ao consumidor”, contou.

Para saber mais sobre pecuária de corte, assista ao Rural Notícias:

O Projeto Família Nação Agro é uma criação do Sistema FAESP/SENAR-SP com o objetivo de capacitar, promover e incentivar o produtor rural do estado de São Paulo.

Notícias Relacionadas:

FAESP busca isenção de ICMS para leite

FAESP busca isenção de ICMS para leite

A saída do produto cru e pasteurizado, que era isenta, passará a ser tributada em 4,14%

Consulta pública sobre regras para fabricação de queijo artesanal vai até 24 de janeiro

Consulta pública sobre regras para fabricação de queijo artesanal vai até 24 de janeiro

A proposta é estabelecer boas práticas agropecuárias para as queijarias

Abraleite negocia revogação do ICMS sobre o leite pasteurizado

Abraleite negocia revogação do ICMS sobre o leite pasteurizado

Caso a medida não seja removida, aproximadamente 6 mil produtores paulistas serão afetados com o aumento dos custos