Falta de internet no campo faz produtor perder tempo e dinheiro

Dados do Instituto Brasileiro de Pesquisa e Estatística revelam que 21% da população das zonas rurais não tem acesso à rede

sem-internet
computador sem acesso à internet

Foto: Pixabay

Érico Kolya trocou a vida na cidade pelo campo há dois anos, dividindo sua rotina entre a queijaria e o computador. A tecnologia, para o sítio localizado em Cabreúva (SP), é usada para divulgar fotos e vídeos da produção. O empreendedor reforça que, estando no meio rural, é necessário apresentar o trabalho e o melhor caminho são as redes sociais. “É super importante ter uma página no Instagram e Facebook, um site que mostre o que a gente faz e também o nosso conceito e filosofia da produção”, diz.

Mas fazer divulgação é uma tarefa mais difícil sem acesso à internet de qualidade. Kolya, por exemplo, depende do plano 3G do celular. Ele roteia o sinal do equipamento para conectar o notebook, porém nem sempre os aparelhos se comunicam corretamente. A falta de sinal também impede pagamento via cartão de crédito e emissão de boletos.

“Eu tenho que me planejar. Geralmente vou para São Paulo e encosto em um café. Não é o ideal, por ser muito barulhento, mas é a forma que encontro de falar com alguém via skype”, relata. Segundo o vendedor, às vezes, nem sinal para ligação ele tem.

Abrir um empório em São Paulo está nos planos de Marina Asnis, mas ela tem encarado todos os problemas da falta de conectividade. “Fui a uma queijaria em Porto Feliz, peguei um monte de queijinhos, na hora que passei o cartão, ele disse: ‘Não deu’. Falei que ia tentar de novo, ele responde: ‘Sinto muito, mas não vai dar’”, conta. Segundo ela, a sorte foi ter dinheiro na carteira. “Infelizmente, também não é culpa deles”, completa.

Melhorou, mas nem tanto

Em um ano, o Brasil ganhou 10 milhões de novos usuários na internet, apontam dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Entre 2016 e 2017, o percentual de pessoas conectadas na zona rural passou de 32% para 39%. Enquanto o número de pessoas que diz não ter acesso à rede nas cidades é de 1%, o índice no campo é muito maior: 21%.

“É uma grande dificuldade que o Brasil precisa aprimorar. Nosso país está bem defasado em relação ao resto do mundo”, afirma André Cardoso da Silva, consultor do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Nova call to action
Solução

Para o produtor de vinhos Rodrigo Ismael, a conectividade deixou de ser problema. Ele tem uma propriedade voltada ao turismo rural na Serra da Mantiqueira, interior de São Paulo, e instalou internet via satélite. “Preciso informar aos meus clientes o que a gente vai oferecer, porque trabalhamos com reservas antecipadas”, explica.

Além da comunicação direta, a conexão facilitou o pagamento da clientela. “Os meus recebimentos eram feitos em dinheiro, cheque e depósito posterior. Passou a ser feito praticamente 90% via cartão de crédito”, relata.

https://canalrural.uol.com.br/programas/informacao/rural-noticias/veja-como-uma-produtora-de-organicos-usa-a-internet-para-vender-mais/

Notícias Relacionadas:

Abraleite negocia revogação do ICMS sobre o leite pasteurizado

Abraleite negocia revogação do ICMS sobre o leite pasteurizado

Caso a medida não seja removida, aproximadamente 6 mil produtores paulistas serão afetados com o aumento dos custos

Normas para produção integrada de folhosas entram em vigor em fevereiro

Normas para produção integrada de folhosas entram em vigor em fevereiro

Em 1º de fevereiro, entra em vigor a Instrução Normativa nº 1 que traz normas para produção de folhosas, inflorescência e condimentais

Publicados registros de 32 produtos técnicos para defensivos agrícolas

Publicados registros de 32 produtos técnicos para defensivos agrícolas

Dentre os produtos aprovados, três são ingredientes ativos inéditos e os demais já são usados no país