Falta de chuva faz preço da batata subir 76% em outubro

Cepea/Esalq prevê manutenção da valorização dos preços nos próximos meses devido ao “adiantamento da colheita” e baixo volume de chuva

Preço da batata sobe

A falta de chuva acelerou a colheita da batata em setembro, reduzindo a oferta do produto em outubro. O movimento elevou os preços do tubérculo em 76%, com cotação média de R$ 96,27 a saca. O dado é do Cepea/Esalq, que prevê a manutenção da valorização dos preços nos próximos meses puxada pelo “adiantamento da colheita” e o baixo volume de chuva.

A previsão de La Niña, que tem como característica a redução da umidade, também deve afetar a produtividade da batata na Safra de 2020/2021. Com oferta reduzida, são boas as possibilidades de rentabilidade para o produtor de batata em 2021.

Por outro lado, o levantamento do Cepea também indica alta nos custos de produção diante da forte valorização do dólar, que encareceu insumos, máquinas e implementos. A previsão é de reajuste de 6,7% no custo total de produção por hectare na temporada 2020/21 frente a 2019/20.

Notícias Relacionadas:

Brasil firma acordo para exportação de ovos e arroz ao México

Brasil firma acordo para exportação de ovos e arroz ao México

Parceria prevê o ingresso de 75 mil toneladas de produtos brasileiros no mercado mexicano ao longo de 2021

Santa Rita do Passa Quatro aposta na produção de leite orgânico

Santa Rita do Passa Quatro aposta na produção de leite orgânico

No interior de São Paulo, a produção tem sido fomentada pelos cursos de inseminação artificial e manejo de gado do SENAR-SP

44,80 % dos bovídeos de São Paulo foram vacinação contra febre aftosa

44,80% dos bovídeos de São Paulo já foram vacinados contra febre aftosa

Secretaria de Agricultura divulgou parciais da vacinação de animais com zero a 24 meses envolvidos na segunda etapa da campanha