Falta de chuva faz preço da batata subir 76% em outubro

Cepea/Esalq prevê manutenção da valorização dos preços nos próximos meses devido ao “adiantamento da colheita” e baixo volume de chuva

Preço da batata sobe

A falta de chuva acelerou a colheita da batata em setembro, reduzindo a oferta do produto em outubro. O movimento elevou os preços do tubérculo em 76%, com cotação média de R$ 96,27 a saca. O dado é do Cepea/Esalq, que prevê a manutenção da valorização dos preços nos próximos meses puxada pelo “adiantamento da colheita” e o baixo volume de chuva.

A previsão de La Niña, que tem como característica a redução da umidade, também deve afetar a produtividade da batata na Safra de 2020/2021. Com oferta reduzida, são boas as possibilidades de rentabilidade para o produtor de batata em 2021.

Por outro lado, o levantamento do Cepea também indica alta nos custos de produção diante da forte valorização do dólar, que encareceu insumos, máquinas e implementos. A previsão é de reajuste de 6,7% no custo total de produção por hectare na temporada 2020/21 frente a 2019/20.

Notícias Relacionadas:

Curso de bordado do SENAR-SP atrai novos associados a sindicatos rurais

Curso de bordado do SENAR-SP atrai novos associados a sindicatos rurais

Disponível em todo o estado de São Paulo, curso propicia geração de renda e resgate cultural através da arte

Lavoura de algodão continua competitiva em algumas regiões de São Paulo

Lavoura de algodão continua competitiva em diversas regiões de São Paulo

Cultura ocupa cerca de 1,3 milhão de hectares em todo o Brasil

Curso de lã de ovelhas do SENAR-SP gera renda extra a produtoras rurais

Curso de lã de ovelhas do SENAR-SP gera renda extra a produtoras rurais

O curso abrange aspectos históricos da atividade, beneficiamento da matéria-prima e confecção de artefatos utilitários e decorativos