Dia de Campo Seguro ressalta importância da sucessão familiar e tecnologia

Evento realizado em Bernardino de Campos deu dicas aos produtores para gestão de propriedade rural

tecnologia-sucessao-familiar-dia-de-campo

Com o objetivo de fortalecer a agricultura familiar, o projeto Família Nação Agro foi a Bernardino de Campos (SP) para levar informação e dicas práticas sobre o processo de sucessão familiar, uma das principais dificuldades enfrentadas pelo homem do campo.

“Cerca de 90% das empresas no Brasil são empresas familiares, desta apenas um terço consegue fazer uma boa transição de pai para filho”, afirmou Roderic Miyoshi, consultor do Sebrar-SP.

De acordo com o Reginaldo Moacir Beleze, presidente do sindicato rural de Bernardino de Campos, planejamento é essencial. “É preciso pensar nisso e, ao longo do tempo, ir preparando e se capacitando, porque hoje a agricultura é muito diferente de antigamente e precisa da capacitação, precisa de melhoramento na produtividade. Só fica na agricultura daqui para a frente, quem for produtivo e for competitivo”, disse.

Assista à íntegra da matéria do Rural Notícias:

Uma ação do Sistema FAESP/SENAR-SP, a Família Nação Agro objetiva capacitar, incentivar e promover o produtor rural do estado de São Paulo.

Notícias Relacionadas:

Carrapato do bovino: saiba o que é preciso para um controle efetivo do parasita no rebanho leiteiro

Carrapato do bovino: saiba o que é preciso para um controle efetivo do parasita no rebanho leiteiro

Secretaria de Agricultura orienta pecuaristas e desenvolve estudos para controle do carrapato com o uso de produto natural e controle biológico

Cafés especiais proporcionam inúmeras experiências sensoriais aos consumidores

Cafés especiais proporcionam inúmeras experiências sensoriais aos consumidores

De olho no mercado de café, cafeicultores brasileiros vêm investindo na produção de cafés especiais em busca de maior retorno financeiro

FAESP busca isenção de ICMS para leite

FAESP busca isenção de ICMS para leite

A saída do produto cru e pasteurizado, que era isenta, passará a ser tributada em 4,14%