Dia da Mulher: 3 cases de sucesso feminino no agronegócio paulista

O SENAR-SP e os sindicatos rurais vêm trabalhando para fortalecer ainda mais a presença feminina nas propriedades rurais de São Paulo

Dia da Mulher: 3 cases de sucesso feminino no agronegócio paulista

De acordo com o programa Agro Mais Mulher, do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), cerca de 947 mil propriedades rurais no Brasil são coordenadas por gestoras. Dessas, 57% estão na região Nordeste, 14% no Sudeste, 12% no Norte, 11% no Sul e 6% no Centro-Oeste. Ao todo, são 30 milhões de hectares administrados por mulheres no país.

O SENAR-SP (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de São Paulo), juntamente com a FAESP (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo) e os sindicatos rurais paulistas, vem trabalhando para fortalecer ainda mais a presença feminina nas propriedades rurais de São Paulo. Abaixo, listamos 3 cases de empoderamento feminino promovidos no estado.

Operadoras de máquinas agrícolas

Em outubro do ano passado, o SENAR-SP e o sindicato rural de Araraquara realizaram o Programa de Aprendizagem Rural, destinado a capacitar trabalhadores rurais e filhos de produtores, dando formação profissional sobre práticas agrícolas. O destaque da iniciativa foi a maior participação das mulheres, jovens de 18 a 24 anos.

Voltado a famílias de baixa renda, o Curso de Aprendizagem em Mecanização Agrícola visa suprir a necessidade por mão-de-obra para operação de máquinas e veículos agrícolas, que muitas vezes ficam parados por conta de falta de profissionais capacitados. “Estamos participando de um processo de especialização que vai nos trazer experiência e abrir as portas para conseguirmos um emprego com carteira assinada”, disseram as alunas.

Produção de peixes

Já a produtora rural Suely Rodrigues, diretora do sindicato rural de Salles Oliveira, se destacou no comando do Projeto Peixes, que registra alta adesão das mulheres. “As mulheres procuram otimizar o trabalho no campo, superando obstáculos, adversidades, executando com dedicação, foco as suas atividades, com objetivos pré-definidos, buscando excelência, bem executando todo e qualquer trabalho”, afirma Suelly.

Suely conta que o Projeto Peixes nasceu em 1998. “Minha formação universitária é em Química Industrial e foi atuando na área que conheci a piscicultura. Uma indústria de óleo vegetal onde eu trabalhava, tinha uma lagoa de tratamento de águas industriais e ali criava peixes, para mostrar que devolvia ao manancial uma água de qualidade”, lembra.

O carro-chefe da ação é a criação e venda de alevinos de Tilápias, mas também a produção de alevinos de pacu, patinga, piauçu e lambari. Para saber mais sobre o projeto, consulte o sindicato rural.

Empreendedorismo no campo

Na estância turística de Brotas, Anamélia Teixeira participou do Programa de Turismo Rural do SENAR-SP e teve uma epifania: como transformar seu sonho em realidade. Seu objetivo sempre foi de abrir um restaurante como um pesqueiro para atender os turistas que visitavam a região, porém, faltavam-lhe conhecimentos para começar o negócio.

Após o curso, Anamélia adquiriu conhecimentos para empreender, dando sequência à sua jornada com mais entusiasmo. Hoje, a empresária é proprietária do Pesqueiro Bica D’Água, na estrada de acesso de Brotas ao município de Dourado (SP), que gera renda e oportunidades de trabalho para a comunidade. O restaurante é especializado em peixes e a propriedade tem lagos de águas limpas, nos quais os peixes são criados.

O curso de Turismo Rural é formando por 10 módulos, totalizando 240 horas, divididos em três dias por mês. Para saber mais, verifique a disponibilidade do programa no sindicato rural de seu município.

Notícias Relacionadas:

Grãos de café marrons vistos de cima

Café: conheça o melhor e o pior tipo de fermentação

Dúvida foi esclarecida por instrutor do SENAR-SP com exclusividade ao quadro Pergunta do Produtor

São Paulo: chuvas devem voltar no final da semana

Semana terá chuva intensa espalhada por São Paulo

De acordo com o Cemaden, passagem de frente fria trará precipitações para o estado paulista

copo de leite de búfala

Preço do leite na Alta Noroeste registra queda de R$ 0,23 por litro

Margens apertadas preocupam produtores de leite