SENAR-SP: curso de processamento artesanal de milho ensina receitas doces e salgadas a produtores

O milho é um dos cerais mais cultivados no Brasil e os participantes aprenderam a fazer receitas salgadas e doces com o cereal

Curso de processamento artesanal de milho do SENAR-SP proporciona aprendizado a produtores

Bolachas, biscoitos, pães, massas, fubá, óleo e utensílios artesanais. Esses são alguns dos usos do milho, um dos produtos mais cultivados pela agricultura familiar brasileira. O SENAR-SP, juntamente com os Sindicatos Rurais, oferece o curso de Processamento Artesanal de Milho para produtores rurais e suas famílias, visando sempre mais qualificação e qualidade de vida.

O milho é um dos produtos mais cultivados pela agricultura familiar brasileira, tanto para a subsistência quanto para a venda local. Pensando nisso, o SIRAN (Sindicato Rural da Alta Noroeste), o Sebrae ER Araçatuba (Escritório Regional) e o SENAR-SP (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) promoveram pela primeira vez, no Noroeste Paulista, o curso Processamento Artesanal de Milho.

A ação foi realizada em Piacatu e contou com a participação gratuita de 12 produtoras rurais. Em 16 horas de duração, divididas em dois dias com oito horas/aula em cada um, elas recebem orientações sobre a escolha do local apropriado, higiene pessoal, do ambiente de trabalho, dos utensílios e equipamentos, características do cereal, procedimentos adequados para alcançar os resultados esperados, e educação nutricional visando a promoção da alimentação adequada e saudável.

A instrutora, pedagoga, nutricionista e gastrônoma Marta Regina Matta Cardoso ensinou saborosas receitas salgadas, como pastel assado, bolo salgado, pão de queijo com fubá, sopa de milho com batata, assim como receitas doces, como broa de milho, bolinha de farinha de milho flocada, curso, pão de milho, canjica de assadeira, bolo de pamonha, pamonha doce, e também suco de milho verde.

Foto: Sindicato Rural da Alta Noroeste

Seguindo as orientações das autoridades de saúde, todos os integrantes da turma de Piacatu usaram máscaras, tiveram álcool em gel à disposição, contaram com materiais de estudo desinfetados, e mantiveram distanciamento. Os participantes receberam gratuitamente material didático e certificado de conclusão.

O milho

É um dos cereais mais utilizados em todo o mundo, além de ser um dos alimentos mais nutritivos que existem. Acredita-se que ele seja originário da América pré-colombiana, visto que os europeus só foram conhecer o cereal quando chegaram ao novo continente.

Seu consumo proporciona vários benefícios à saúde, principalmente pelo fato de que, ao contrário do arroz e do trigo, o milho conserva sua casca. A casca do milho é uma rica fonte de fibras, importantíssimas para a manutenção do ritmo intestinal. Além disso, é rico em carboidratos, proteínas, vitaminas (principalmente B1 e E) e sais minerais.

Embora o milho seja um ingrediente presente em vários pratos brasileiros, como a canjica e a pamonha, seu consumo na mesa dos brasileiros, seja direta ou indiretamente, é muito baixo. Segundo a Embrapa, apenas 5% de todo o milho produzido no Brasil é consumido diretamente pelo homem. Grande parte (65%) é utilizada na alimentação de animais. Em outros países, como no México, a situação é diferente, visto que o cereal é a base da alimentação.

Via SENAR-SP

Notícias Relacionadas:

4 dicas para livrar sua propriedade de escorpiões

4 dicas para livrar sua propriedade de escorpiões

Segundo o Instituto Butantan, os escorpiões são responsáveis pelo maior número de acidentes dentre todos os animais peçonhentos no Brasil

Café especial paga 4 vezes mais que o tradicional na Serra da Mantiqueira

Café especial paga 4 vezes mais que o tradicional na Serra da Mantiqueira

Em Divinolândia (SP), a combinação entre microclima, altitude e associativismo tem fortalecido produção de café

Novo quadro do Família Nação Agro, “Pergunta do Produtor” atendeu ao questionamento de pecuarista sobre suplementação

Dúvida sobre manejo na alimentação animal? O SENAR-SP responde

Novo quadro do Família Nação Agro, “Pergunta do Produtor” atendeu ao questionamento de pecuarista sobre suplementação