mel

Coronavírus causa busca por mel e própolis

Apicultura entra na entressafra e estoque é limitado. Com o avanço da pandemia do novo coronavírus a busca por melhor imunidade tem impulsionado o setor.

O Brasil produz cerca de 45 mil toneladas de mel, com a pandemia o consumo disparou e o quilo de mel obteve alta de mais de 40% no preço pago ao apicultor, passando de R$5,50 para R$8,50. Já a raspa de própolis passou R$70,00 para R$250,00 aumento de mais de 250%.

Nivaldo Bertelli é instrutor do Senar São Paulo, técnico agropecuário e tecnólogo em apicultura e melipolicultura pela Universidade de Taubaté – Unitau, onde faz curso de especialização na área. Ele alerta para o fato de estarmos entrando na entressafra dos produtos apículas no Hemisfério Sul – “A nossa safra vai até março, agora muitas espécies de plantas entram em dormência por causa do período mais frio do outono e inverno.”

Para os apicultores é um período delicado, que exige muita atenção com as colmeias – “Até setembro devemos oferecer nutrição energética para as colmeias, e se for necessário até nutrição proteica a base de algum farelo como soja ou trigo para manter o vigor do enxame e deixá-lo apto para a retomada da produção em agosto ou setembro.” – recomenda o instrutor.

Veja a entrevista completa com Nivaldo Bertelli, realizada nesta segunda-feira, dia 18.

Notícias Relacionadas:

“Feira segura” promove venda de alimentos de produtores familiares em SP

Pagamento sem contato é uma das estratégias para a realização da primeira feira segura em SP

Sindicato Rural é mediador das ações entre governo e produtores

Em tempos de pandemia a cooperação entre governo e sindicatos rurais tem ajudado pecuaristas

Com a pandemia, aumenta o consumo de carvão e lenha

O uso inadequado do fogo pode intensificar problemas respiratórios