Conheça nova variedade de uva branca de mesa sem semente

Lançada pela Embrapa Semiárido, nova cultivar é resultado do cruzamento de uvas internacionais

Uva branca

Coloração branca, sabor neutro e produtividade que chega a 25 toneladas por hectare por ciclo de produção. Essas são algumas das características da BRS Tainá, nova variedade de uva sem caroço lançada pela Embrapa Semiárido.

Fruto do cruzamento de cultivares internacionais como Sugraone e Marroo Seedless, a BRS Tainá é resultado de um esforço para disponibilizar aos produtores do Vale do São Francisco, no Nordeste, uma variedade de uva branca com baixo custo de produção e de licenciamento, comum em cultivares estrangeiras.

Os cachos da BRS Tainá apresentam tamanho médio, com peso de 270 gramas e medindo cerca de 15 x 10 centímetros. Já o período de produção, da poda até a colheita, está em torno de 110 dias, com pequenas variações ao longo do ano, em função das condições climáticas.

A nova cultivar ainda atende importantes apelos do mercado. Além de ser sem caroço, característica determinante no mercado consumidor da fruta in natura, a uva Tainá apresenta crocância, bagas firmes e com uma relação equilibrada entre açúcares e acidez. Segundo a Embrapa, opção promissora e com grande potencial para se destacar no mercado de uvas de mesa brancas sem sementes.

Notícias Relacionadas:

Setor de carnes realiza carreata contra aumento de ICMS em São Paulo

Setor de carnes realiza carreata contra aumento de ICMS em São Paulo

Ato contra medida do governo paulista contou com cerca de 1200 caminhões e 1500 pessoas envolvidas, segundo os organizadores

Estufa garante produção de hortaliças em períodos de chuvas

Estufa garante produção de hortaliças em períodos de chuvas

Apesar do alto custo, sistema protegido permite controle de temperatura e umidade e diminui risco de doenças

Grupo Interministerial irá elaborar Plano Nacional de Fertilizantes

Grupo Interministerial irá elaborar Plano Nacional de Fertilizantes

O plano tem o objetivo de aumentar a produção e oferta de fertilizantes nacionais, além de reduzir a dependência dos produtos importados