Alta no preço da batata chega a 17% no Sudeste

Chuvas na região Sul do país diminuíram a oferta do produto no mercado interno

potatoes-1585060_960_720

Os preços da batata padrão ágata subiram na semana passada em consequência das chuvas em Guarapuava (PR) e em Água Doce (SC), que interromperam a colheita. Em Belo Horizonte, a alta no atacado chegou a 17,29%, o que corresponde a R$127,95 a saca
de 50 kg. A segunda maior alta, de 16,24%, foi registrada no Rio de Janeiro (R$121,67/sc). Já em São Paulo, os valores aumentaram 11,59%. A saca foi vendida por R$136,56.

Os dados são do Cepea, o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da USP. O aumento nos preços só não foi maior porque o mercado foi abastecido por produtos do cerrado e do sul de Minas Gerais, com preços entre R$ 80 e R$120,00.

Segundo o CEPEA, a tendência é de queda nos preços ao longo de junho, com a colheita nas regiões de safra das secas, como Curitiba, Irati, Ponta Grossa e São Mateus do Sul, localizadas no Paraná, e Ibiraiaras, no Rio Grande do Sul. Além disso, a produção de Minas Gerais, Cristalina (GO), Chapada Diamantina(BA) e do sudoeste paulista deve reforçar a oferta no mercado.

O Boletim Hortigranjeiro divulgado em maio pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) explica que os aumentos sucessivos da batata começaram em outubro do ano passado. Segundo a Conab, as altas são consequência de uma redução na área plantada e na produção da safra das águas 2018/19. Só de janeiro a abril deste ano a oferta caiu 13,6% na comparação com o mesmo período de 2018.

Veja também:

Ministério prorroga prazo para adequação à rastreabilidade vegetal

Notícias Relacionadas:

4 aplicações da internet 5G no agronegócio

Segundo o governo federal, a conexão 5G deve chegar ao Brasil em 2022

Confira 4 dicas para otimizar a colheita do milho

Com a abertura da colheita do milho, é necessário realizar bem esse processo para não sofrer com excessivas perdas

Conheça 4 doenças que mais atingem suínos

Conheça 4 doenças que mais atingem suínos

Em São Paulo, o mercado de suínos está aquecido e com preços vantajosos ao produtor