Entenda o que é preciso para acertar no Manejo Integrado de Pragas

As principais vantagens do MIP são redução dos custos no controle e diminuição no uso de defensivos agrícolas

Entenda o que é preciso para acertar no Manejo Integrado de Pragas

O Manejo Integrado de Pragas (ou “MIP”) é formado por um conjunto de estratégias voltadas para o controle de infestações e proteção da cultura, com o mínimo de efeitos indesejados. Entre suas principais vantagens, estão a redução dos custos de controle e diminuição na utilização de defensivos agrícolas aplicados de maneira desenfreada.

Mas, para alcançar o melhor resultado, é necessário que se faça o monitoramento periódico da lavoura, identificação de características habituais das plantas e verificação das presenças e dos comportamentos das pragas e dos seus inimigos naturais, que podem estar contaminando ou se alimentando dos cultivos.

Agente de Transferência de Tecnologia da Embrapa Soja, Arnold Barbosa de Oliveira explica que, por meio do monitoramento periódico, é possível conhecer as espécies e os níveis populacionais das pragas e inimigos naturais presentes na área. Há casos em que a análise permite quantificar os danos já causados às plantas.

De acordo com o especialista, o monitoramento das pragas na lavoura é bastante simples, podendo ser realizado por produtores de diversas categorias, desde que orientados por consultores ou extensionistas que dominam o método. “O monitoramento é feito com o uso de um instrumento denominado “pano de batida”, no qual as pragas e alguns inimigos naturais são derriçados, identificados, contados e registrados, de forma a orientar as decisões e a produzir um histórico de cada talhão na lavoura”, diz.

Conforme Oliveira, o uso seguro e confortável do MIP depende somente do entendimento do processo, de forma a reduzir o nível de ansiedade em relação às medidas de controle, que ele considera como um dos maiores empecilhos à utilização do método.

Sendo assim, o agente da Embrapa Soja dá uma dica para iniciantes no manejo integrado de pragas: “Muitas vezes é interessante que o produtor experimente o MIP em uma área delimitada da propriedade para dominar o método, internalizar a sua eficácia, e se sentir confortável com as mudanças a serem implementadas e com questionamentos comumente apresentados por terceiros”.

Fonte: Agrishow

Notícias Relacionadas:

Seguro rural: governo paulista não libera sua participação e preocupa produtores

Seguro rural: governo paulista não libera sua participação e preocupa produtores

Falta de repasse de recursos do governo de São Paulo e início do inverno ameaçam fruticultura em Indaiatuba

Técnica Rural: 3 coisas que você precisa aprender sobre organização comunitária

Técnica Rural: 3 coisas que você precisa aprender sobre organização comunitária

Assista a uma vídeo-aula exclusiva ministrada pelo SENAR-SP

Conheça 3 formas de manter pastagens disponíveis no inverno

Conheça 3 formas de manter pastagens no inverno

Instrutor do SENAR-SP mostra como é possível alimentar a boiada na estação mais fria do ano