28 de julho, dia do agricultor – Parabéns aos que alimentam a nação

O dia do agricultor será comemorado no Dia de Campo Seguro, em São José do Rio Pardo (SP), turismo pós-pandemia está entre os temas debatidos

campo com agricultor

O dia do agricultor é comemorado no Brasil em 28 de julho. A data será comemorada no Dia de Campo Seguro, em São José do Rio Pardo (SP). No evento serão debatidos temas como turismo rural pós-pandemia, mudança no plantio de orgânicos e escoamento seguro.

Antes de mais nada, vamos falar um pouco sobre essa data tão importante, principalmente, no Brasil, que é um dos principais países agrícolas do mundo. A produção nacional se destaca em várias culturas, entre as principais estão: cana-de-açúcar, café, laranja, entre outros.

E não para por aí. Somos referência na produção de carne bovina e fumo, por exemplo, e ainda, destaque para soja e milho, no qual em 2019 o país bateu recorde na exportação deste grãos. Para 2020, a expectativa é que o Brasil se torne o maior produtor de soja do mundo, superando, inclusive, os Estados Unidos.

 

Curiosidade

A data foi instituída em 1960, pelo então presidente da república, Juscelino Kubitschek, para comemorar os 100 anos da criação do Ministério da Agricultura.

 

Dia do agricultor é comemorado pela Família Nação Agro 

Durante o Dia de Campo Seguro, que será realizado nesta terça-feira (28), em São José do Rio Pardo, no interior de São Paulo, a data será celebrada para enaltecer o produtor rural, em especial, os da agricultura familiar que são responsáveis pelo alimento que chega à nossa mesa.

O Dia de Campo Seguro faz parte do Projeto Família Nação Agro, realizado pelo Canal, em parceria com Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) do estado de São Paulo. O evento é presencial e também virtual, possibilitando assistir de qualquer lugar através da transmissão ao vivo, pelas plataformas onlines do Nação Agro.

Entre os temas que serão debatidos no evento, está o turismo rural em pós-pandemia. Em muitas propriedades, o turismo rural é um grande aliado para aumentar a renda da família. Para os turistas, é uma oportunidade de conhecer todo o processo do alimento que é consumido, desde o cultivo até a degustação final.

Entretanto, com a pandemia, há uma preocupação com a segurança dos produtores e clientes no momento de visitação. Para saber como proceder pós-crise, a consultora de turismo do Sebrae, Marília de Castro, explica como ficará esse cenário depois das mudanças que o mundo está vivendo com a Covid-19.

Do mesmo modo, será tratado também a produção e escoamento com segurança em tempos de pandemia. Sobre esse tema, quem explica é a engenheira agrônoma, Flaviane Castilho de Araújo.

Além disso, as mudanças no plantio convencional para orgânico também será discutido entre os produtores e o analista de negócios do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Junior Correa.

 

Por fim, veja a programação:

Data: 28/07/20 – 15H – São José do Rio Pardo (SP)

  • Turismo pós-pandemia – Marília de Castro Oliveira, consultora de turismo do Sebrae;
  • Mudança no plantio convencional para orgânico – Flaviane Castilho de Araujo, engenheira agrônoma;
  • Como produzir e escoar de forma segura em tempos de pandemia – Junior Correa, analista de negócios do Sebrae.

Para assistir de onde estiver, acesse:

Site: www.nacaoagro.com.br
Instagram: @canalrural
YouTube do Canal Rural

Notícias Relacionadas:

Carrapato do bovino: saiba o que é preciso para um controle efetivo do parasita no rebanho leiteiro

Carrapato do bovino: saiba o que é preciso para um controle efetivo do parasita no rebanho leiteiro

Secretaria de Agricultura orienta pecuaristas e desenvolve estudos para controle do carrapato com o uso de produto natural e controle biológico

Cafés especiais proporcionam inúmeras experiências sensoriais aos consumidores

Cafés especiais proporcionam inúmeras experiências sensoriais aos consumidores

De olho no mercado de café, cafeicultores brasileiros vêm investindo na produção de cafés especiais em busca de maior retorno financeiro

FAESP busca isenção de ICMS para leite

FAESP busca isenção de ICMS para leite

A saída do produto cru e pasteurizado, que era isenta, passará a ser tributada em 4,14%