CAR: apenas 8,9% dos produtores paulistas buscaram regularização ambiental

Em Caravana do SENAR-SP, consultor agropecuário mostrou que produtores perdem benefícios com desatualização do CAR

Proprietários rurais que quiserem acessar o Programa de Regularização Ambiental devem fazer o CAR até dia 31/12

Projeto do SENAR-SP (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de São Paulo), a Caravana Família Nação Agro chegou nesta quinta-feira, 9, ao município de Santo Anastácio, na região de Presidente Prudente, para trazer uma palestra sobre o CAR (Cadastro Ambiental Rural). No palco, o consultor agropecuário Juliano Mendes explicou ao público – que voltou aos programas com medidas de proteção – como o CAR tem funcionado na prática e suas implicações ao produtor.

Segundo o especialista, o histórico do controle ambiental começou em 1934, quando havia a necessidade de exploração das terras, mas a cobertura florestal era vasta. Essa exploração foi permitida até 1965, quando houve a criação do Código Florestal e de burocracias para registrar esse avanço. Porém, em 2012, com o “novo código”, Mendes afirma que houve uma “otimização da burocracia”, resultando em mais precisão na declaração de informações das propriedades.

“O CAR ganhou caráter declaratório. Ou seja, você é responsável pela informação que está sendo lançada no sistema. Estando certa ou errada, o responsável será sempre o produtor”, explicou ele. Dessa forma, cabe ao homem do campo manter o controle dos dados declarados e das informações para acessar o sistema. “Muitos estados trabalham com o CAR num ambiente federal, mas o estado de São Paulo criou o Sistema de Gestão Ambiental Integrado”, disse.

Mendes informa que o uso deste sistema específico para São Paulo pode apresentar diferenças entre as informações que o produtor declarou anteriormente ao governo federal. Assim, muitos proprietários precisam atualizar seus dados, o que é comprovado em números. “Dos cadastros que estão no ambiente estadual, apenas 8,9% aderiram ao PRA [Programa de Regularização Ambiental]. Isso significa que a maioria dos produtores não acessa o sistema”, concluiu.

Na falta do PRA, o homem do campo acaba perdendo benefícios que estão previstos em lei.

Para mais informações sobre o CAR, clique aqui. Para obter ajuda no preenchimento do cadastro, entre em contato com o sindicato rural de sua região. Abaixo, você confere a palestra completa:

Notícias Relacionadas:

São Paulo deve receber chuvas em sequência até início de junho

São Paulo: início da primavera será marcado por retorno das chuvas

De acordo com a Somar Meteorologia, a expectativa é de que alguns municípios recebam mais de 25 milímetros

cesta de orgânicos organizar a cadeia

SENAR-SP disponibiliza 5 cursos para manejo de orgânicos

Atendendo as necessidades dos produtores, agricultura orgânica une ciência e tradição em cultivo sem produtos sintéticos

6 dicas para melhorar a segurança da sua propriedade

6 dicas para melhorar a segurança da sua propriedade

Comandante da Polícia Militar mostra como medidas simples podem aumentar a proteção do produtor rural