Armazém Rural SP: veja como vender pela internet com segurança

Setor cresceu 68% em 2020 e faturou R$ 126,3 bilhões, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico

Armazém Rural SP: veja como vender pela internet com segurança

Mais do que um luxo, o comércio online hoje em dia se tornou uma verdadeira necessidade para os dois lados do balcão – isto é, tanto para quem vende quanto para quem compra. Devido à pandemia do novo coronavírus, as cidades e estados de todo o Brasil passam por etapas cada vez mais restritivas da quarentena, o que demanda o fechamento de lojas e menos pessoas em deslocamento.

Com menos possíveis clientes nas ruas e poucos estabelecimentos físicos abertos, uma opção para manter as vendas em alta é a internet, uma vez que, segundo dados da ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), o setor cresceu 68% em 2020, faturando R$ 126,3 bilhões com um total de 300 milhões de pedidos feitos.

Um levantamento da Betalabs, empresa de tecnologia especializada em e-commerce, registrou elevação de 120% na utilização de plataformas de comércio eletrônico. Ou seja, mais brasileiros estão pesquisando suas compras online.

Como iniciar no comércio online

Para você começar a negociar seus produtos pela internet, é necessário prestar atenção em algumas questões que darão segurança a você e ao seu consumidor. Dessa forma, é preciso primeiro identificar um comércio eletrônico de confiança, que tenha credibilidade frente ao público e exiba em seu rodapé certificados de segurança para operações.

Nossa indicação, é o Armazém Rural SP (clique aqui para saber mais sobre a plataforma), desenvolvido pelo Sistema FAESP/SENAR-SP em parceria com o Canal Rural, para promover a aproximação do produtor rural com seus potenciais consumidores através de um canal sem intermediadores.

Leia também o Código de Defesa do Consumidor – que você acessa clicando neste link – para saber como funciona sua relação com os clientes.

Aqui você acessa o Armazém Rural SP: www.armazemruralsp.com.br

Organização de estoque

Além de verificar as licenças necessárias para vender junto ao sindicato rural de seu município – pois produtos como bebidas precisam de liberações específicas –, é essencial ter um estoque organizado para você poder ter controle sobre o que você está anunciando e qual demanda pode atender.

Um erro muito comum no comércio digital é o descompasso entre o que o que se tem no depósito e o que se coloca na vitrine da web. Você já fez uma compra online e depois foi avisado que o anunciante não dispunha mais do produto que você se interessou? Casos como este fazem o vendedor perder pontos com o consumidor.

Vale lembrar que atualmente todas as compras são avaliadas pelos internautas, que também compartilham suas impressões nas redes sociais. Por isso, é importante atender bem.

Atenção ao envio

Os sites de vendas dão ao consumidor a opção de quando receber a encomenda. Sabendo disso, você deve fazer o envio o quanto antes para que a entrega não passe do prazo estipulado. Esse tipo de atraso faz o vendedor ganhar reputação ruim. Outra questão é a embalagem. Veja quais as fragilidades do produto e o proteja de todas as formas, para que o manuseio dos entregadores não cause nenhum dano ao que você está vendendo.

Pós-vendas

Disponibilize um canal de comunicação com seu cliente. Na embalagem do produto, insira dados como endereço da sua propriedade, site ou contato de telefone para ser acionado em caso de dúvidas e problemas. É importante que o consumidor não se sinta desamparado após a compra.

Com isso, você tem tudo para ter um boa experiência de vendas!

Notícias Relacionadas:

Turismo rural: caravana ensina a alcançar visitantes com marketing da propriedade

Segundo consultor do Sebrae-SP, 76% dos turistas consideram importante soluções digitais no turismo rural

Conheça 3 técnicas de combate a incêndios no campo

Conheça 3 técnicas de combate a incêndios no campo

Com tempo seco, o inverno é marcado pela recorrência de queimadas

Café arábica é aposta de produtores no Vale do Ribeira

Café arábica é aposta de produtores no Vale do Ribeira

Projeto de apoio à cafeicultura no município de Barra do Turvo tem o incentivo do SENAR-SP