Dia do Pecuarista: 6 boas práticas para gerenciar sua propriedade

Em 15 de julho é celebrado o dia do profissional dedicado à alimentação, sanidade, reprodução e bem-estar animal

Dia do Pecuarista: 6 boas práticas para gerenciar sua propriedade

Nesta quinta-feira, dia 15 de julho, é celebrado o Dia do Pecuarista, produtores que se dedicam à alimentação, sanidade, reprodução e bem-estar animal, uma atividade vital para o abastecimento das cidades e importante para impulsionar a economia brasileira.

Sendo assim, nesta data, é interessante ressaltar as boas práticas que têm ajudado o homem do campo a ter sucesso no ramo, para que mais interessados pela profissão consigam atingir níveis satisfatórios de produtividade e lucratividade em suas propriedades.

Veja 6 dicas para melhorar os resultados de seu negócio:

  1. Coleta e análise de dados

As ferramentas para coleta dos dados da propriedade e da produção são muito importantes para a gestão da fazenda, porém, é essencial não só coletar dados, mas analisá-los, fazendo um diagnóstico do negócio.

Assim, será possível planejar e traçar metas para a propriedade, como ocorre em uma indústria ou qualquer outra empresa.

  1. Manejo adequado do pasto e dos animais

O manejo dos pastos e dos animais é fundamental para o sucesso na pecuária. Segundo Gustavo Rezende Siqueira, pesquisador da APTA (Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios), o grande gargalo da pecuária nacional é que ao animal é oferecido uma forragem que não o permite comer aquele que precisa durante o dia.

  1. Planejamento detalhado

Prepare seu planejamento considerando o todo da propriedade e pensando no calendário completo para fazer o manejo dos animais e pastagens. Planeje a realização de análise para verificar a qualidade do solo e adubação de herbicidas e fertilizantes. Ajuste a taxa de lotação com a capacidade de suporte.

  1. Arrume a casa antes de comprar mais animais

Outra dica importante é fazer uma análise realista da infraestrutura disponível na propriedade, para a partir daí pensar na expansão dos negócios. Não adianta aumentar o rebanho se não há pasto suficiente para expandi-lo.

  1. Demandas do consumidor final também devem ser consideradas

Os consumidores estão cada vez mais exigentes e preocupados com a forma de produção dos itens colocados em sua mesa. Essas demandas precisam ser consideradas. Assim, o uso de mecanismos de rastreabilidade é um ponto importante e as fazendas já estão criando selos para rastrear seus produtos.

  1. Atenção às tecnológicas

Implantar novas tecnologias na produção de gado de corte é imprescindível para o sucesso da pecuária, de acordo com o pesquisador da APTA. Para Siqueira, é inviável que os produtores de bovinos de corte continuem produzindo hoje do mesmo modo do que seus pais e avós.

“Na década de 70, um pecuarista conseguia uma receita de R$ 600 por hectare. Se ele tivesse uma fazenda de mil hectares, sua renda seria de R$ 50 mil por mês. Hoje, nessa mesma área, produzindo da mesma forma, o produtor consegue uma receita de R$ 100 por hectare. Se ele produzir nesses mesmos mil hectares, terá uma renda de R$ 8 mil por mês”, exemplifica.

Fonte: Bimeda

Notícias Relacionadas:

4 aplicações da internet 5G no agronegócio

Segundo o governo federal, a conexão 5G deve chegar ao Brasil em 2022

Confira 4 dicas para otimizar a colheita do milho

Com a abertura da colheita do milho, é necessário realizar bem esse processo para não sofrer com excessivas perdas

Conheça 4 doenças que mais atingem suínos

Conheça 4 doenças que mais atingem suínos

Em São Paulo, o mercado de suínos está aquecido e com preços vantajosos ao produtor