Pastagem, silagem e feno: conheça 3 tipos de alimentação volumosa

Alimentos volumosos são aqueles que têm alto teor de fibra e baixo valor energético. Saiba mais.

tipos-de-alimentacao-volumosa-dia-de-campo-seguro

O Brasil é o quarto maior produtor de leite no mundo, tendo essa produção como atividade principal em pequenas propriedades rurais. Mas, para que este ritmo seja mantido e até aumente, o homem do campo precisa tirar o máximo de eficiência de seus animais. Porém, além de vacinação e conforto, a alimentação tem peso no rendimento do gado leiteiro.

Durante o  Dia de Campo Seguro – evento que faz parte do Projeto Família Nação Agro, realizado, em 29 de setembro, na cidade Presidente Bernardes,  o professor e doutor em zootecnia Silvio de Paula Mello falou sobre os diversos tipos de alimentação volumosa para bovinos de leite e seus benefícios, tanto para o animal quanto para o produtor. De acordo com Mello, o alimento volumoso pode ser mais barato, mas depende de qualidade para ser suficiente.

No entanto, vale lembrar que alimentos volumosos são aqueles que têm alto teor de fibra e baixo valor energético. Abaixo, você conhece os principais tipos:

Pastagem

Consiste na forragem destinada ao pastejo. Dessa maneira, é necessário que seja escolhido uma espécie que melhor se adapte às condições de cada propriedade. Para pastagem, o especialista cita capins do panicum (Tanzânia, Mombaça e Zuri), pennisetum (Elefante), brachiaria (Marandu e Piatã) e cynodon (Tifton e Cost Cross). Tais capins podem ser disponibilizados em pastejo ou no cocho.

Silagem

Outra opção de alimentação volumosa destacada pelo professor é a silagem, que são forrageiras verdes picadas e armazenadas em silos, conservadas por fermentação. Nesse caso, Mello indica milho (planta inteira, sem espiga, com espiga ou grão úmido), sorgo, girassol e cana-de-açúcar – este último, porém, necessita utilização de aditivo. Uma alternativa mais recente é o BRS Capiaçu, lançado pela Embrapa.

Feno

Já o feno é constituído por gramíneas conservadas em desidratação e oferece vantagem pela possibilidade de ser armazenado por longos períodos, mantendo o valor nutricional e com boa aceitação pelos animais. Entretanto, a fenação se mostra menos tolerante a climas úmidos, podendo ser perdida em decorrência da chuva, fungos ou mofos.

Abaixo, você assiste à palestra completa:

O projeto Família Nação Agro é uma iniciativa do Sistema FAESP/SENAR-SP para capacitar, promover e incentivar o produtor rural do estado de São Paulo.

Notícias Relacionadas:

Carrapato do bovino: saiba o que é preciso para um controle efetivo do parasita no rebanho leiteiro

Carrapato do bovino: saiba o que é preciso para um controle efetivo do parasita no rebanho leiteiro

Secretaria de Agricultura orienta pecuaristas e desenvolve estudos para controle do carrapato com o uso de produto natural e controle biológico

Cafés especiais proporcionam inúmeras experiências sensoriais aos consumidores

Cafés especiais proporcionam inúmeras experiências sensoriais aos consumidores

De olho no mercado de café, cafeicultores brasileiros vêm investindo na produção de cafés especiais em busca de maior retorno financeiro

FAESP busca isenção de ICMS para leite

FAESP busca isenção de ICMS para leite

A saída do produto cru e pasteurizado, que era isenta, passará a ser tributada em 4,14%