Demanda por orgânicos no sistema delivery triplica em Avaré (SP)

Associação Orgânicos Avaré (AOA) recebe encomendas de alimentos; cestas são montadas de acordo com os pedidos de clientes e entregues em domicílio

alimentos orgânicos

Há dois anos, um grupo de produtores de orgânicos do município de Avaré, no interior de São Paulo, fundou a Associação Orgânicos Avaré (AOA) para ajudar na comercialização de seus produtos. Nesse sentido, um dos frutos da união foi a conquista de uma banca no mercado municipal da cidade.

No local, são quinze produtores associados que cultivam uma área de aproximadamente 30 hectares no sistema orgânico. Portanto, a banca no mercado municipal tem um pouco de tudo. Dessa forma, cerca de uma tonelada de produtos orgânicos frescos são comercializados semanalmente.

A produtora rural, Cristiane Ferreira, apesar de formada na área de relações internacionais, optou pela vida na roça e decidiu ser produtora de orgânicos.

Segundo Cristiane, um dos fatores que motivou a mudança na vida dela foi ter a satisfação de entregar ao cliente um produto saudável.

“O maior sentimento que a gente sente é que está fazendo um bem para todas as pessoas. A gente está levando saúde para as pessoas e essa é a maior vantagem”, comentou.

Demanda por orgânicos triplica em Avaré (SP)

Além da compra na banca, a associação aceita encomendas. Conforme a demanda da semana, os produtos são comprados e as cestas montadas. Contudo, por causa da pandemia, as entregas em domicílio triplicaram.

De acordo com a produtora rural, Lúcia Helena Oliveira, os alimentos que não são produzidos na região, são encomendados de outros municípios, tudo para atender a necessidade do cliente.

“Os clientes são cadastrados e eles recebem a lista e têm a liberdade de escolher. O prazo é até a segunda-feira, às 8 horas da manhã. A partir daí, a gente precisa de um tempo para passar para o produtor e ele colher. No entanto, o que não que não tem aqui na nossa região, a gente tem que buscar fora, justamente, para suprir o máximo possível o desejo do cliente”, ressalta.

Contudo, mesmo com a comercialização firme e as vendas aumentando cerca de 10% a cada semana, os produtores de orgânicos ainda têm grandes desafios pela frente.

Segundo André Albano, presidente da Associação Orgânicos Avaré (AOA), uma das maiores dificuldades é conseguir oferecer um preço mais baixo para o consumidor final.

“Hoje em dia, o orgânico tem essa fama de ser caro, mas algumas coisas o custo é bem bem inferior do que o convencional. Mas ainda é preciso melhorar o preço final para os consumidores”.

Nesse sentido, para Sérgio Faria, agrônomo da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS), o caminho é aumentar o número de associados para ampliar o poder de venda.

“As áreas são pequenas e os produtores têm dificuldade de um fornecimento com maior volume, então a ideia é que tendo mais produtores, a gente consegue aumentar a escala do grupo”.

 

Notícias Relacionadas:

SENAR-SP: curso de artesanato com folhas gera oportunidades a produtores

SENAR-SP: curso de artesanato com folhas gera oportunidades a produtores

Além de trazer uma nova fonte de renda para o meio rural, programa de ensino proporciona o resgate cultural às regiões

SENAR-SP explica o que fazer para obter mais vacas em lactação

SENAR-SP explica o que fazer para obter mais vacas em lactação

Número de animais em condições para produção de leite determina rendimento da propriedade

Saiba como conseguir qualidade em cafés naturais

Saiba como conseguir qualidade em cafés naturais

Com a safra castigada pela estiagem do ano anterior, agricultor precisa extrair produtos de alto nível para melhorar renda