Calor afeta preços de frutas e hortaliças vendidas no atacado

Boletim Prohort, da Conab, mostra movimento dos preços em setembro e tendências para outubro

Preços da cenoura aumentaram

De acordo com o 10º Boletim Prohort, divulgado pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), as altas temperaturas registradas no Brasil têm causado impacto nos preços de frutas e hortaliças vendidas nas Ceasas (Centrais de Abastecimentos). Isso acontece porque o calor acelera a maturação de alguns produtos e, com isso, o produtor tem que antecipar a colheita, afetando a oferta e os valores de comercialização.

O tomate foi um dos produtos que mais sofreu com os efeitos do calor, com alta nas cotações em praticamente todas as centrais analisadas pela Conab, sendo a maior variação em Brasília, de 32,5%. As temperaturas quentes também intensificaram a entrada da melancia no mercado, causando elevação de até 60% no valor em comparação com agosto deste ano. Já o mamão ficou mais barato no mercado atacadista pelo amadurecimento acelerado.

Segundo o documento da Conab, as condições climáticas ainda influenciaram na maior demanda pela laranja, algo que, somado a menor oferta da fruta, resultou na alta de preços. Por fim, a cenoura ficou mais cara em todos os mercados atacadistas analisados em setembro.

Contudo, para o mês de outubro, há expectativa de estabilidade nos preços, mas, em relação à média de setembro, os valores vêm declinando.

Notícias Relacionadas:

4 aplicações da internet 5G no agronegócio

Segundo o governo federal, a conexão 5G deve chegar ao Brasil em 2022

Confira 4 dicas para otimizar a colheita do milho

Com a abertura da colheita do milho, é necessário realizar bem esse processo para não sofrer com excessivas perdas

Conheça 4 doenças que mais atingem suínos

Conheça 4 doenças que mais atingem suínos

Em São Paulo, o mercado de suínos está aquecido e com preços vantajosos ao produtor